2018 Arcos de Valdevez
    Com a presença de
Máquina do Mundo

“Olha, repara, ausculta”, diz a máquina do mundo ao viajante quando se encontram na estrada. Mas depois de vislumbrar a utopia do progresso, o viajante repele a máquina e, avaliando o que perdera, segue vagaroso o seu caminho, de mãos pensas. Com Drummond de Andrade, na sua releitura desenganada da máquina do mundo de Camões (1572), queremos voltar à estrada daquele encontro para investigar as possibilidades e dilemas que se colocam hoje à máquina do cinema face à maquinaria global, belicosa, extrativista e exploratória, cuja única regra é não revelar sua mecânica nem seus códigos de funcionamento. Do documentário observacional à arquitectura forense, o Doc’s Kingdom 2018 propõe um programa de investigações e experiências que reinvestem na capacidade do cinema mergulhar na contingência do tempo histórico e atestar pelos seus meios a evidência incontestável do real. Entre a engrenagem audiovisual de máquinas de guerra e máquinas de controlo que se esquivam ao contracampo, que estratégias estão a adotar cineastas, artistas e cientistas para nos devolver uma imagem do mundo?

2 Setembro, Domingo
Sessão #1, Noite
Out of the Present
1995, 96 min
Andrei Ujică

O lugar do Homem no universo nunca foi contemplado da maneira que é neste filme singular. Os dez meses do cosmonauta russo Sergei Krikalev a bordo da estação espacial Mir são registados em imagens filmadas durante a sua visita aos céus, que contrastam com as imagens do colapso da União Soviética de 1991 a 1992. Enquanto Krikalev estava longe da Terra, o império que o enviou ao espaço deixou de existir, a sua cidade natal, Leningrado, voltou a ser São Petersburgo, e a natureza dos negócios globais sofreu mudanças massivas. “No entanto, o efeito dos planos e cenas extraterrestres diminui e distancia esses eventos históricos, por mais importantes que sejam. Galáxias, como grãos de areia, espalham-se pelo céu, e até mesmo as imagens históricas do colapso do Estado soviético murcham em comparação “(Michael Wilmington, Chicago Tribune).

3 Setembro, Segunda
Sessão #2, Manhã
Hacked Circuit
2014, 15 min
Deborah Stratman

Um plano sequência que é um retrato coreografado do processo de Foley, revelando múltiplas camadas de fabricação e imposição. O caminho circular da câmara move-nos para dentro e para fora de um palco de Foley em Burbank, Califórnia. No retrato do trabalho de artistas sonoros, são revelados os mecanismos de suporte tipicamente invisíveis da produção cinematográfica, assim como, por extensão e por citação, violações governamentais da privacidade individual. A cena que está a ser trabalhada é a sequência final de The Conversation, onde o personagem de Gene Hackman, Harry Caul, destrói o seu quarto em busca de uma escuta que ele suspeita ter sido secretamente plantada. A aparência do apartamento de Caul enquanto ele o destrói espelha o caos visual do palco de Foley. Esse reflexo também é evidente nos retratos duplos do especialista em espionagem sónica, Caul, e do artista de Foley, Gregg Barbanell, para quem o profissionalismo é marcado pela invisibilidade da técnica. E ainda na duplicação que é a segunda aparição de Hackman como um ‘hack’ de vigilância, vinte e quatro anos depois em Enemy of the State. Essas citações cinematográficas fundamentam Hacked Circuit, evocando paranóia, e sensação de convicção perante a falta de certeza sobre o que é visível. A complicação entre o visto, o conhecido, o ouvido e o indetectável fornece linhas temáticas paralelas entre a encenação do Foley e um clima generalizado de vigilância governamental.

Rafah: Black Friday
2014, 9 min
Forensic Architecture

O relatório Black Friday é uma colaboração entre a Forensic Architecture e a Amnistia Internacional. O objetivo é fornecer uma reconstrução detalhada dos eventos em Rafah, Gaza, de 1 a 4 de agosto de 2014, com base principalmente em material encontrado nas redes sociais. Uma vez que foi negado o acesso a Gaza à equipa de investigação, a Forensic Architecture desenvolveu uma série de técnicas destinadas a reconstruir os eventos a partir de centenas de imagens e vídeos gravados por jornalistas profissionais e cidadãos. As imagens foram posteriormente localizadas num modelo 3D de Rafah. A Forensic Architecture também localizou depoimentos de testemunhas, entregues após a guerra, dentro deste modelo 3D e corroborou os eventos relatados com outro material audiovisual.

Killing in Umm Al-Hiran
2017, 11 min
Forensic Architecture

Pouco antes do amanhecer de 18 de janeiro de 2017, uma grande força policial invadiu a vila beduína ilegalizada de Umm al-Hiran, no limiar norte do deserto de Naqab/Negev, a fim de demolir várias casas. Duas pessoas foram mortas: um morador beduíno, Yaqub Musa Abu al-Qi’an, e um polícia israelita, Erez Levi. Imediatamente após o incidente, o governo israelita e a polícia alegaram que o incidente foi um ‘ataque terrorista’ levado a cabo por Abu al-Qi’an afirmando, além disso, que ele tinha ligações com o Daesh (ISIS). A investigação da Forensic Architecture sobre o incidente, em colaboração com o grupo ativista ActiveStills, ajudou a expor a falsidade dessa narrativa, e estabeleceu a veracidade dos residentes locais e das alegações de activistas, de que Abu al-Qi’an perdeu o controlo de seu veículo e atropelou Levi só depois de ser baleado por polícias israelitas, sendo depois deixado a sangrar até morrer. A sua análise forçou a polícia retrair a sua narrativa dos eventos e levou a uma investigação policial interna.

In Order Not to Be Here
2002, 33 min
Deborah Stratman

Um olhar intransigente sobre como a privacidade, a segurança, a conveniência e a vigilância determinam o ambiente na América do Norte. Filmado inteiramente à noite, o filme confronta a natureza hermética das comunidades de colarinho branco nos EUA, dissecando o medo por detrás do design suburbano contemporâneo. Um medo que surge do isolamento (protege-nos de pessoas que não são como nós). O medo da irregularidade (ao comer no McDonalds, sabemos o que esperar). Medo de pensar (ligar a televisão). Um medo de si próprio (mantém-te em movimento). Ao examinar paisagens suburbanas e corporativas evacuadas, o filme revela um vazio peculiar do século 21… um vazio nascido da nossa fé colectiva na segurança e tecnologia. Este é um novo género de filme de terror, experimentando décors suburbanos como estados de espírito. Música eletrónica original de Kevin Drumm.

Debate com Deborah Stratman, Hannah Meszaros Martin e Daniel Mann
Sessão #3, Tarde
Salarium
2018, 42 min
Daniel Mann
Sasha Litvintzeva

Assim como sumidouros – esses buracos que, desde a década de 1980, danificaram as estradas e locais turísticos ao longo das margens do Mar Morto (que banha Israel, mas também a Jordânia e a Cisjordânia ocupada) a uma velocidade estonteante – Salarium causa um colapso no percepção do espectador: oblitera a sua concepção deste território como estando essencialmente vazio, um espaço oferecido ao turista pela sua singularidade salgada. A partir da etimologia compartilhada das palavras ‘salário’ e ‘soldado’, os cineastas reinjectam um fio de história e política neste espaço agora entregue ao lazer (três soldados comem o seu gelado na praia, um grupo de cinquentões vivendo na orla do deserto da Judéia tomam o espaço com as suas latas de refrigerante, espreguiçadeiras e transistores). O foco num fenómeno geológico exacerbado pela actividade humana, muda a nossa ideia do que é um ‘tesouro natural’. A lama restauradora com a qual os banhistas se lambuzam pode ser reduzida a esse uso cosmético? E as moto4 que cruzam o deserto? Em que momento é que a exploração deste lugar se transforma em destruição ambiental? E como é que as palavras cataclísmicas de um profeta hippie, ecoam o capítulo 8 do livro de Daniel? “Ao tornar a Terra inabitável para o futuro, os sumidouros aparecem como sintoma e causa activa do fracasso desse projecto colonialista que é a instrumentalização da natureza.”

Wild Relatives
2018, 68 min
Jumana Manna

Nas profundezas da terra, debaixo do permafrost norueguês, sementes de todo o mundo são armazenadas no Global Seed Vault para fornecer um reserva caso ocorra um desastre. Pela primeira vez, as sementes lá guardadas, de um grande banco de genes de Aleppo, estão a ser replicadas, depois das sementes primordiais terem sido deixadas para trás aquando da mudança da instituição para o Líbano, decorrida da guerra civil. São os refugiados da Síria a realizar este árduo trabalho nos campos do Vale Beqaa. No Levante, as condições da seca e o poder das corporações agrícolas globais são o maior desafio, enquanto no Círculo Polar Ártico – onde a caixa-forte de sementes deveria suportar qualquer condição – as temperaturas crescentes e o derreter dos glaciares são o maior obstáculo.

Debate com Jumana Manna e Daniel Mann
Sessão #4, Noite
Prrrride
2008, 3 min
Sirah Foighel Brutmann e Eitan Efrat

Ouvimos o rat-a-tat-tat de uma batida tocada por tambores e pratos. Em sobreposição, uma narrativa sobre um jovem que se junta a uma divisão especial de combate do exército, com apenas 17 anos. Esta breve história reflecte sobre a complexidade das relações humanas e do conflito.

Complex
2008, 9 min
Sirah Foighel Brutmann e Eitan Efrat

Numa noite de inverno, num estacionamento aberto em Tel Aviv, sete homens que serviram juntos no exército israelita encontram-se novamente. A reunião do grupo traz de volta a atmosfera que eles tão bem conhecem de três anos de serviço militar nas forças especiais. Na chão do estacionamento, é esboçado o contorno de uma casa fictícia onde os ex-soldados vão reencenar a manobra militar de tomar uma casa civil. As suas armas são substituídas por rolos de papel, e a zona de combate por um espaço aberto em Tel Aviv. Durante o serviço militar, os soldados foram treinados para realizar essa manobra automaticamente. No novo contexto, a ação de ‘take-over’ é despojada de seu contexto original e torna-se uma performance.

Blessed Blessed Oblivion
2010, 21 min
Jumana Manna

Em Blessed Blessed Oblivion Jumana Manna retrata um grupo de homens que vive na área árabe de Silwan, na zona oriental de Jerusalém. O lugar, dominado pela violência, drogas e crime, linguagem abertamente sexista e misógina e código de honra criminal, revela uma face desconhecida de Jerusalém, uma cidade geralmente considerada sagrada e local de culto. Seguindo o seu protagonista Ahmad com uma câmara, Manna observa os lugares onde os homens se reúnem – um lava-jato, um barbeiro e um ginásio e, dessa forma, documenta um mundo ao qual uma jovem em Jerusalém geralmente não pode aceder. O filme expressa os medos e os sonhos da cidade, carregada de símbolos e mergulhada no conflito, que resvala na letargia do ‘bendito esquecimento’ e no desejo incerto de uma resistência heróica – expressa pelo poema que Ahmad recita, ‘O Mártir’, de Abd al-Rahim Mahmud, de 1936. O filme é abertamente inspirado na obra de vanguarda de Kenneth Anger, Scorpio Rising, de 1963, uma obra que retrata a cultura dos motociclistas de Los Angeles, cheios de amor pelos ícones masculinos de sua época, como Marlon Brando e James Dean. Os filmes compartilham o culto da masculinidade e o erotismo fortemente perceptível.

The Umpire Whispers
2010, 15 min
Jumana Manna

The Umpire Whispers é uma exploração da intimidade que surge entre um treinador de natação e a sua atleta. No filme, a realizadora volta a encontrar-se com seu treinador, cinco anos após ter abandonado a natação competitiva, e pede-lhe para recriar uma situação recorrente da sua adolescência em que ele lhe faz uma massagem e ela o massaja de volta. O título do filme é inspirado pelo romance ‘Infinite Jest’, de David Foster Wallace, em que o protagonista, jogador de ténis, sofre de um sonho recorrente em que deixa de conseguir entender as regras do jogo que melhor conhece.

O Corpo de Afonso
2012, 32 min
João Pedro Rodrigues

Como seria, o corpo de D. Afonso Henriques, primeiro rei de Portugal, figura tutelar, sujeito a sucessivas mitificações ao longo da história portuguesa? “A tentativa mais recente de abertura do túmulo de D. Afonso Henriques foi no século actual, mas foi frustrada por um ‘impedimento de cima’ de última hora. O que está realmente dentro da tumba permanece um mistério. O cinema é o meio ideal para tentar encontrar um corpo para o mito fundador da nação, o corpo de D. Afonso Henriques; revelando talvez o que a ciência é incapaz de desvendar, e desvendando o que a história não pode resolver ”. (João Pedro Rodrigues)

Debate com João Pedro Rodrigues, Jumana Manna, Sirah Foighel Brutman e Eitan Efrat
4 Setembro, Terça
Sessão #5, Manhã
Juízo
2007, 90 min
Maria Augusta Ramos

Juízo acompanha o processo de menores que caíram nas mãos do ordenamento jurídico brasileiro. Meninos e meninas de origens desprivilegiadas enfrentando crimes, decisões judiciais e sentenças proferidas por roubo, tráfico de drogas e até assassinato. Devido a restrições legais quanto à revelação da verdadeira identidade dos menores acusados, os adolescentes acusados foram substituídos por jovens escolhidos por terem vivido de condições sociais semelhantes, embora inocentes de qualquer crime real.

Debate com Maria Augusta Ramos
Sessão #6, Tarde
El Verano de Goliat
2010, 78 min
Nicolás Pereda

El Verano de Goliat combina documentário e ficção ao entrelaçar as histórias de pessoas que vivem numa pequena cidade na zona rural do México. Essas pessoas incluem uma mulher que acredita que seu marido a trocou por outra; o seu filho soldado, que espera que um dia ele e seu companheiro soldado recebam metralhadoras para intimidar os motoristas que passam; e três irmãos cujo pai os deixou, há muitos anos, aos cuidados da sua mãe, que mal consegue sustentá-los. Pereda retrata as frustrações de uma comunidade rural mexicana, por meio de uma variedade de conceitos narrativos, que vão desde entrevistas com os personagens em estilo documental, até encenações da mesma cena em diferentes cenários.

Debate com Nicolás Pereda
Sessão #7, Noite
Kivalina
2013, 36 min
Forensic Architecture

Kivalina é uma vila Iñupiaq de 400 habitantes, situada numa ilha na barreira do Ártico, na costa noroeste do Alasca. Nos últimos anos, o aquecimento global tem adiado a formação de gelo marinho, expondo a costa a tempestades marítimas outonais e, portanto, colocando a existência de Kivalina cada vez mais sob ameaça. A falta de infraestrutura básica, agravada pela erosão e inundações, obrigou a aldeia a procurar o realojamento. Em 2006, Kivalina processou as vinte e quatro maiores empresas de petróleo e gás, alegando que deveriam ser responsabilizadas pelas consequências das emissões de gases causando o efeito estufa e, portanto, contribuir para os custos de realojamento. Após o fracasso do fórum jurídico na defesa das reivindicações de Kivalina, e a paralisação das tentativas de realojamento por parte do governo, o grupo Modelling Kivalina viajou para o Alasca para realizar uma série de entrevistas com residentes da aldeia, cientistas e representantes políticos.

The Illinois Parables
2016, 60 min
Deborah Stratman

Um documentário experimental composto por vinhetas regionais sobre fé, força, tecnologia e êxodo. Onze parábolas retratam histórias de assentamento, remoção, avanço tecnológico, violência, messianismo e resistência, todos ocorrendo em algum lugar no estado de Illinois, nos EUA. O estado é um conveniente ardil estrutural, permitindo que as suas histórias se tornem alegorias que exploram como somos moldados pela convicção e ideologia. O filme sugere ligações entre abstração tecnológica e religiosa, colocando-as em diálogo com a governança. Os locais são aqueles onde as fronteiras entre o racional e o sobrenatural são ténues. São ‘lugares estreitos’ onde a distância entre o céu e a terra se desmoronou, ou mais secularmente, qualquer lugar que carrega um passado pesado, onde o desejo e o deslocamento nos levaram ou nos apagaram da terra. O que começou como uma consideração sobre a liberdade religiosa acabou em locais onde a crença ou invenção desencadearam a expulsão. O filme utiliza reconstituições, filmagens de arquivo, filmagens observacionais, intertítulos e narração para contar as suas histórias, e é uma extensão de trabalhos anteriores nos quais a realizadora questiona os princípios fundadores da nação. As parábolas consideram o que pode constituir uma forma litúrgica. Não um sermão, mas uma forma que questiona o que a moralidade catalisa e o que a crença pode ensinar sobre a nacionalidade.

Debate com Hannah Meszaros Martin, Deborah Stratman e Rebecca Baron
5 Setembro, Quarta
Sessão #8, Manhã
Autobiografia Lui Nicolae Ceausescu
2010, 180 min
Andrei Ujică

É impossível que A autobiografia de Nicolae Ceausescu seja o monumento que o ex-ditador romeno teria produzido em sua própria homenagem. Entre outras coisas, tem um final infeliz, pelo menos para ele e para a sua esposa, Elena, que foram executados no dia de Natal de 1989. Ainda assim, em muitos aspectos, Ceausescu acaba por ser o autor deste brilhante documentário tanto quanto o realizador, Andrei Ujică, que atravessou mais de 1000 horas de filmes de propaganda estatal, noticiários oficiais e filmes caseiros, para criar um tour de force cinematográfico que rastreia a ascensão, o reinado e a queda sombria de seu sujeito.

Sessão #9, Tarde
O Processo
2018, 137 min
Maria Augusta Ramos

O impeachment e destituição da presidente brasileira, Dilma Rousseff, em 2016, foi desencadeado por um escândalo de corrupção envolvendo, entre outros, o seu então vice-presidente Michel Temer. A realizadora Maria Augusta Ramos acompanha o julgamento de Dilma Rousseff do ponto de vista da sua defesa. Este é um drama de tribunal que se desenrola lentamente; as aparições das várias partes transformam os procedimentos gradualmente em algo semelhante ao teatro. Dentro da sala de audiências, grandes emoções surgem com toda a sua força, enquanto, do outro lado das portas, lobistas e apoiantes caminham pelos corredores. Enquanto isso, do lado de fora, em frente aos prédios modernistas do governo de Brasília, os manifestantes cantam como um coro grego. Apenas a personagem principal, a própria Dilma Rousseff, permanece indiferente.

Debate com Maria Augusta Ramos
Sessão #10, Noite
Allegoria Della Prudenza
2013, 2 min
João Pedro Rodrigues

O vento leva-nos dos dois túmulos de Mizoguchi, em Tóquio e Kyoto, até Ovar, onde repousam as cinzas de Paulo Rocha.

Où En Êtes-vous, João Pedro Rodrigues?
2017, 21 min
João Pedro Rodrigues

Seguindo a migração da borboleta monarca, que foge do frio da América do Norte para passar o Inverno nas agradáveis montanhas de Michoacán, no México, este é um filme de vagueio, pelas margens congeladas do lago Walden, em Concord, Nova Inglaterra, cidade onde Henry David Thoreau e Nathaniel Hawthorne se olham em silêncio, sob a neve no Cemitério de Sleepy Hollow.

Orientation
2015, 12 min
Sirah Foighel Brutmann e Eitan Efrat

Olhando para dois locais – a escultura pública Praça Branca em homenagem aos fundadores de Tel Aviv, e o santuário da vila palestina Salame, naquele que é actualmente o bairro de Kafar Shalem em Israel – Orientation concentra-se na capacidade do material arquitectónico, e do som e da imagem, de registar o esquecimento colectivo. Orientation é o segundo capítulo de uma série de trabalhos intitulada Gathering Series.

Future Diaries
2011, 46 min
Daniel Mann

Uma ficção experimental que conta a história da viagem à Diáspora. A história segue uma família durante uma emergência nacional ocorrida em Israel. A família está em busca de locais alternativos para construir um novo Lar. O filme é um género cruzado entre documentário e ficção científica, e é baseado em vídeos familiares arquivados.

Debate com João Pedro Rodrigues, Daniel Mann, Sirah Foighel Brutman e Eitan Efrat
6 Setembro, Quinta
Sessão #11, Manhã
Nude Descending a Staircase
2015, 18 min
Sirah Foighel Brutmann e Eitan Efrat

A primeira parte de Nude Descending a Staircase é uma montagem de clipes encontrados online, filmados por visitantes – peregrinos – ao remoto memorial de Walter Benjamin em Portbou, Espanha. Cada um destes registos está ancorado na especificidade do local. Começam com a chegada a Portbou, passam pela pequena cidade até o cemitério, e terminam numa dramática descida pela icónica escadaria de Dani Karavan, criada em homenagem a Walter Benjamin. A montagem deste material audiovisual transforma as experiências individuais numa trajectória colectiva, enredando a memória coletiva, a experiência e a produção de imagens. A segunda parte revela outra escada, abandonada e barricada, numa pequena plataforma em forma de palco, fora do antigo Memorial Espai Walter Benjamin. A segunda escada sugere modestamente um modo alternativo de enquadrar a memória. Nude Descending a Staircase é o primeiro capítulo de uma série de trabalhos intitulada Gathering Series.

Mare Clausum - The Sea Watch vs Libyan Coast Guard Case
2017, 29 min
Forensic Architecture

A 6 de novembro de 2017, a ONG de resgate Sea Watch (SW) e um navio patrulha da Guarda Costeira da Líbia (LYCG) dirigiram-se simultaneamente para um barco de migrantes em perigo, em águas internacionais. O barco, que havia partido de Trípoli algumas horas antes, transportava entre 130 e 150 passageiros. Seguiu-se uma operação de resgate e de confronto. Embora a SW tenha conseguido resgatar 59 passageiros em segurança para Itália, pelo menos 20 pessoas morreram antes ou durante o resgate, e 47 passageiros foram puxados de volta para a Líbia, onde vários enfrentaram graves violações dos seus direitos humanos – incluindo detenção, espancamento e a passagem a outro sequestrador, que os torturou para obter um resgate das suas famílias. O desenrolar deste incidente foi reconstruído num vídeo da Forensic Oceanography em colaboração com a Forensic Architecture.

O'er the Land
2019, 52 min
Deborah Stratman

Uma meditação sobre ‘o meio de elevada ameaça’ numa abordagem ao nacionalismo, cultura de armas, selvagismo, consumo, patriotismo e a possibilidade de transcendência pessoal. De particular interesse são as maneiras como os americanos passaram a compreender a liberdade e as reiterações cada vez mais tecnológicas do destino. Enquanto canaliza a psique americana, o filme é interrompido pela história do Coronel William Rankin que, em 1959, foi forçado a ejectar de seu jacto de combate F8U a 48.000 pés sem roupa de pressão, ficando preso por 45 minutos nas subidas e descidas de uma forte tempestade. Surpreendentemente, ele sobreviveu. A história de Rankin representa um tipo de liberdade não material e metafísica. Foi vomitado pelo seu próprio jacto, esse ícone norte-americano de progresso e força, mas a purga violenta não o leva necessariamente a uma reavaliação ou redirecionamento. Este filme debruça-se sobre a forma súbita, simple e total com que um evento nos pode separar do sistema das coisas e colocar-nos numa espécie de limbo. Como quando caímos. Ou cruzamos uma fronteira. Ou levamos um tiro. Ou somos salvos. O filme junta à força aqueles que são os ícones culturalmente aceites da tradição heróica americana, e a sugestão de consequências históricas inaceitáveis, transformando locais aparentemente benignos em zonas de angústia moral.

Debate em pequenos grupos
Sessão #12, Tarde
Perfect Cut
(WIP), 2018
Sirah Foighel Brutmann e Eitan Efrat

Um estudo sobre as relações mutantes entre imagem, materialidade e valor. Filmado no Diamond Bourse na Antuérpia, na Bélgica, o trabalho joga com as propriedades partilhadas por diamantes e filmes; luz, superfície, duração e cortes.

The Private Property Trilogy
(performance lecture), 2018
Nicolás Pereda

Uma palestra performática que examina a vida e obra de C.B., um artista multifacetado, ativista político, arqueólogo amador, autoproclamado anarquista e criador de um museu de mineração no deserto do norte do México. Histórias de direitos territoriais e empreendimentos artísticos revelam-se inextricavelmente ligados, à medida que descubro os fragmentos perdidos da história pessoal de C.B.

The Outlawed Earth/La Tierra Proscrita
(lecture), 2018
Hannah Meszaros Martin

A minha pesquisa de doutoramento investiga a erradicação sistemática e legalmente sancionada da planta de coca na Colômbia, que é paradigmática na forma como as reclassificações jurídicas produzem novos objectos de contestação e novas formas de violência. O projecto examina as transformações que baniram a vida não-humana, bem como as sociedades e culturas humanas que cruzam esses mundos de vida. Um ponto focal da pesquisa examina o espaço limite onde a fazenda encontra a floresta, uma fronteira turva crucial para a luta cultural e política. O projeto documenta movimentos de resistência que usam este modo de agricultura como o seu modo de luta política e, ao fazê-lo, colocam o direito de cultivar no centro de suas demandas políticas. (Hannah Meszaros Martin)

Debate com Nicolás Pereda, Hannah Meszaros Martin, Sirah Foighel Brutman e Eitan Efrat
Sessão #13, Noite
O Ornitólogo
2016, 117 min
João Pedro Rodrigues

Fernando, um ornitólogo solitário, procura cegonhas-pretas, espécie ameaçada, ao longo de um rio remoto no norte de Portugal, quando é arrastado pelos rápidos. Resgatado por um casal de peregrinos chineses na estrada para Santiago de Compostela, mergulha numa floresta escura e sombria, tentando regressar ao seu caminho. Aos poucos, conforme encontra obstáculos inesperados e misteriosos, e pessoas que o colocam à prova, Fernando é impelido a ações extremas que o transformam. Aos poucos, torna-se um homem diferente, inspirado, multifacetado e finalmente, totalmente iluminado.

Debate com João Pedro Rodrigues
7 Setembro, Sexta
Sessão #14, Manhã
Ray's Birds
2010, 7 min
Deborah Stratman

Ray Lowden mantém setenta e duas grandes aves de rapina, cinco veados e alguns cangurus na sua casa em Northumberland, Inglaterra. Teve um total de dez dias de folga em doze anos e adora o que faz. O filme é uma pequena homenagem à sua colecção de rapinas variadamente tímida, imperiosa, curiosa, teimosa e cómica.

Los Mejores Temas
2012, 103 min
Nicolás Pereda

Passando da ficção ao documentário, Los Mejores Temas conta a história de Emilio, um homem na casa dos cinquenta que aparece na casa da família após quinze anos de ausência. A sua esposa e o seu filho de vinte e oito anos recebem-no com amargura e confusão. Após alguns dias, decidem expulsá-lo, apenas para descobrir que ele já partiu por conta própria. O filho acaba por seguir Emilio e passa alguns dias com ele no seu apartamento. “Depois de fazer vários filmes com os mesmos actores interpretando papéis semelhantes, decidi fazer um filme sobre o processo de representação. Isso abriu um mundo de novas possibilidades, incluindo ensaios, repetições e interações entre as personagens fictícias e os atores que interpretam essas personagens. Continuei essa pesquisa ao substituir um dos actores pelo meu tio a meio das filmagens. O meu tio entra no filme como um sujeito de documentário, que tem que se relacionar com personagens de ficção, que agem como se ele fosse um deles.” – Nicolás Pereda

Debate com Deborah Stratman, Hannah Meszaros Martin e Daniel Mann
Debate com Jumana Manna e Daniel Mann
Debate com João Pedro Rodrigues, Jumana Manna, Sirah Foighel Brutman e Eitan Efrat
Debate com Maria Augusta Ramos
Debate com Nicolás Pereda
Debate com Hannah Meszaros Martin, Deborah Stratman e Rebecca Baron
Debate com Maria Augusta Ramos
Debate com João Pedro Rodrigues, Daniel Mann, Sirah Foighel Brutman e Eitan Efrat
Debate em pequenos grupos
Debate com Nicolás Pereda, Hannah Meszaros Martin, Sirah Foighel Brutman e Eitan Efrat
Debate com João Pedro Rodrigues
Detalhe de Painel d’Os Lusíadas
Luís Vaz de Camões
A Máquina do Mundo
Carlos Drummond de Andrade
Os Lusíadas, Canto X
Luís Vaz de Camões
Solar Apparatus for Producing High Temperatures
M. A. G. Himalaya
The Reality-Based Community
Erika Balsom
The Silence of the Lens
David Claerbout
Why Has Critique Run out of Steam? From Matters of Fact to Matters of Concern
Bruno Latour
The cosmonaut Sergei Krikalev in conversation with Andrei Ujică
Deborah Stratman, interview with Pablo de Ocampo
Heart of Darkness
Joseph Conrad
Svetlana Alexievitch in conversation with Paul Virilio
Deborah Stratman, interview with Mike Hoolboom – II
João Pedro Rodrigues in conversation with Antoine Barraud – II
Andrei Ujică in conversation with Rob White
The Conversation, Francis Ford Coppola
Unspeakable Desire, on the films of João Pedro Rodrigues
Dennis Lim
Robison Crusoe
Daniel Defoe
EVIDENCE OF THINGS / FA Lexicon
Ian Hacking
Canção do Engate, 1984
António Variações
Eli Raz’s diary, written while stuck in a sinkhole
Eli Raz
FORENSIC FUTURES / FA Lexicon
Susan Schuppli
Seed Vault: Freezing Life for Doomsday
Elaine Gan
“Father is trying to decide where is the Diaspora…”
LYING / FA Lexicon
Hannah Arendt
Jumana Manna in conversation with Kattie Guggenheim
Odetta, quoted
David Perlov
MATERIAL AESTHETICS / FA Lexicon
Planting Seeds: The Fires of War
Sheila Skeikh
Daniel 8:13-17
SLOW VIOLENCE / FA Lexicon
Rob Nixon
“In the future Israel…”
THRESHOLD OF DETECTABILITY / FA Lexicon
“When mundane life is suddenly paused…”
Daniel Mann
Introduction: Forensis
Eyal Weizman
The Kitchen Knife: A Stab in the Eye of Domestic Enclosure
Daniel Mann
Defoliating the World: Ecocide, Visible Evidence and ‘Earthly Memory’
Hannah Meszaros Martin
Sinkholes in Signification
Daniel Mann, Sasha Litvintseva
Os Lusíadas, Canto 8
Luís Vaz de Camões
Situated Knowledges: the Science Question in Feminism and the Privilege of Partial Perspective
Donna Haraway
“Hi Patricia, (…) A few thoughts:…”
Daniel Mann
Cientistas vão abrir hoje em Coimbra o túmulo do primeiro rei de Portugal
Teresa Firmino
Patent for Solar Apparatus for Producing High Temperatures
M. A. G. Himalaya
Running Wild – From the Forensic Diaries of Dr. Richard Greville, Deputy Psychiatric Adviser, Metropolitan Police
J.G. Ballard
Raccord sexuel
Luc Chessel
Retour sur une Trilogie, Andrei Ujică interviewed by Arnaud Hée
Deborah Stratman, interview with Mike Hoolboom – I
“Whoever approached the spirit…”
Santo António de Pádua (Saint Anthony of Padua)
Out of the Present, Vers la Fiction et au-delà
Luc Chessel
Stalker, Andrei Tarkovsky
João Pedro Rodrigues in conversation with Antoine Barraud – I
Virtuous Repetitions
Roger Koza
Nicolás Pereda in conversation with Gerardo Naranjo – I
The Other
Jorge Luis Borges
Nicolás Pereda in conversation with Gerardo Naranjo – II
“Cinema is about believing.”
Nicolás Pereda
“The only real thing here is heat…”
C.B
A Cinematic Atopia
Robert Smithson
Conversation between Machado and Jucá
Excavation and Memory
Walter Benjamin
The Trial
Franz Kafka
Photography
Ariella Azoulay
So What?
Maiakovsky
Liquid Crystals
Esther Leslie
Maria Augusta Ramos in conversation with Heloisa Eterna – I
Walter Benjamin’s Archive
Walter Benjamin
Maria Augusta in conversation with Jenny Karakaya
Gathering Series: Orientation
Dani + Sirah Foighel Brutmann and Eitan Efrat
Maria Augusta Ramos in an interview with Heloisa Eterna – II
Walter Benjamin’s Archive
Walter Benjamin
“Cinema is a game.”
Nicolás Pereda
Stretch from the introduction of Nicolás Pereda’s retrospective
Courtisane Festival
in the first biography of Bach to be written: Ueber Johann Sebastian Bachs Leben (1802)
Johann Nikolaus Forkel
Participantes
Agnès Wildenstein, Aitziber Olaskoaga, Alejandro Alvarado, Alisha Mehta, Amaranta César, Amarante Abramovici, Ana Lobato, Ana Vîjdea, Anna Tsyrlina, António Caldeira Pires, Anze Persin, Bryony Dunne, Carlos Coelho, Caspar Stracke, Catarina Marto, César Pedro, Chloe Thorne, Concha Barquero, Daniel Mann, Deborah Stratman, Deborah Viegas, Diana Toucedo, Diogo Costa, Eitan Efrat, Elias Ortigosa, Elizabeth Ruiz, Elorri Sarasola Barandiaran, Emily Wardill, Filipa Falcão, Filipa Gambino, Francisco S. Ferreira, Gabriela Monroy, Gaelle Boucand, Garbiñe Ortega, Hannah Meszaros Martin, Helena Estrela, Ignacio Millet, Ilona Jurkonytė, Jacques Lemière, James Newitt, Joana Mendes Patrício, João Coimbra Oliveira, João Pedro Amorim, João Pedro Rodrigues, Jorge Moneo Quintana, Julia Gouin, Jumana Manna, Justin Mackenzie Peers, Kate Saragaço-Gomes, Kaucyila Brooke, Lana Almeida, Leanna Kaiser, Léole Poubelle, Loide Santos, Lucas Tavares, Luís Gonçalves, Magdalena Kielbiowska, Maile Colbert, Mansour Aziz, Manuela Penafria, Margarida Mendes, Margaux Dauby, Maria Augusta Ramos, Maria Inês Oliveira, Maria Valentina Pelayo, Marie Fontanel, Marta Reis, Massih Parsaei, Miguel Dias, Miguel Ribeiro, Nepheli Gambade, Nicolás Pereda, Nikolai Nekh, Norberto Valente, Norris L. Duckett III, Nuno Lisboa, Nuno Morão, Patrícia Mourão, Pauline Piris-Nury, Paulo Carneiro, Paulo Lamim, Pierre Carniaux, Rafael Urban, Rebecca Baron, Rebecca Jane Arthur, Regina Guimarães, Ricardo Vieira Lisboa, Rita Brás, Rita Quelhas, Robin Fresson, Saguenail, Salette Ramalho, Sara Magno, Sara Morais, Sirah Foighel Brutman, Sofia Dinger, Sophie Cavoulacos, Stefanie Baumann, Susana Nascimento Duarte, Susana Santos Rodrigues, Thibault Solinhac, Tinne Renner
Participantes Dear Doc
Deborah Viegas, Helena Estrela, Loide Santos, Paulo Carneiro, Rita Quelhas (Bolsas com o apoio do Programa Gulbenkian de Língua e Cultura Portuguesas); Alisha Mehta, Leanna Kaiser, Elizabeth Ruiz, Norris Duckett III (Bolsas CalArts); Ana Vîjdea, Kate Saragaço-Gomes (Prémios Verdes Anos Doclisboa); Rafael Urban (Bolsa Eduardo Coutinho)
Direção e Programação
Nuno Lisboa
Programadora Convidada
Patrícia Mourão
Produção
Francisco S. Ferreira e Margaux Dauby
Assistência de Produção
Filipa Falcão e Luís Goncalves
Direção Técnica
César Pedro
Som
Nuno Morão e Sara Morais
Cartaz
Ana Eliseu
Webdesign
Joana Frazão
Diário Fotográfico
Magdalena Kielbiowska
Álbum Polaroid
Francisco S. Ferreira
Organização Textos de Apoio
Margaux Dauby e Patrícia Mourão
Assessoria de Imprensa
Helena César
Tradução Simultânea
Amarante Abramovici
Apoio Administrativo
Glenda Balucani
Diretor Casa das Artes Arcos de Valdevez
Nuno Soares
Produção Casa das Artes Arcos de Valdevez
Pedro Cunha
Organização
Apordoc
Co-produção
Município de Arcos de Valdevez
Financiamento
Ministério da Cultura, Instituto do Cinema e do Audiovisual, Fundação Calouste Gulbenkian e Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento
Parceiros
Casa das Artes de Arcos de Valdevez, Centro Paroquial de Arcos de Valdevez, Hotel Costa do Vez, Luna Arcos Hotel, Restaurante A Floresta, Restaurante Caneiros, Restaurante O Pote e Vinhos de Arcos de Valdevez
Daniel Mann
Daniel Mann (1983) nasceu nos EUA e frequentou a Escola de Cinema da Universidade de Tel Aviv. Está actualmente a concluir a sua tese de doutoramento na Goldsmiths - University of London sobre imagens de guerra e a integração do audiovisual em conflitos armados. Com profundo conhecimento sobre a realidade e o conflito israelo-palestiniano, os filmes e escritos de Mann procuram redefinir a política das imagens por meio de um emaranhado de representações, usuários, práticas dos media e operações de automatização de dados. Investigando a noção de hábito, tanto visual como conceptualmente, o seu trabalho gira em torno da implantação e da incorporação de tecnologias de comunicação em zonas de conflito. As imagens produzidas por práticas quotidianas e sua (re)apropriação política está no cerne de sua investigação geral. Mann fez filmes em colaboração com Sasha Litvintseva, Sirah Foighel Brutmann e Eitan Efrat. Colaborou também com o grupo Forensic Architecture, na investigação do assassinato de Yaqub al-Qi’an em Umm el-Hiran (Israel), 2017.
Filmes apresentados
Salarium, 2018, 42 min
Future Diaries, 2011, 46 min
Deborah Stratman
Deborah Stratman (nascida em 1967) é uma artista e cineasta residente em Chicago que explora paisagens e sistemas numa obra que abrange vários formatos, incluindo filmes, escultura pública, fotografia, desenho e áudio. Stratman voltou-se para a arte e para o cinema após uma primeira tentativa nas ciências e, até hoje, o seu trabalho cinematográfico é marcado pelo interesse pela astrofísica, zoologia, física e acústica. Muito de seu trabalho evidencia as relações entre ambientes físicos e lutas humanas por poder e controlo.
Filmes apresentados
Hacked Circuit , 2014, 15 min
In Order Not to Be Here, 2002, 33 min
The Illinois Parables, 2016, 60 min
O'er the Land, 2019, 52 min
Ray's Birds, 2010, 7 min
Forensic Architecture
Forensic Architecture (FA) é um grupo de pesquisa interdisciplinar sediado no Centre for Research Architecture, Goldsmiths College - University of London. Fundada e dirigida pelo arquiteto Eyal Weizman em 2010, a equipa de FA conta com arquitectos, académicos, artistas, cineastas, criadores de software, jornalistas de investigação, arqueólogos, advogados e cientistas. Junto com diferentes organizações parceiras, FA investiga as ações tomadas por estados e empresas, oferecendo as suas análises a organizações da sociedade civil, ONGs, grupos activistas e promotores, que as têm apresentado em vários fóruns jurídicos e políticos. O grupo usa avançadas técnicas de arquitectura e de media para investigar conflitos armados e destruição ambiental, bem como para cruzar referências de uma variedade de provas, como novos media, sensoriamento remoto, análise de materiais e depoimentos de testemunhas. As investigações podem assumir diferentes formas, como arquivos de evidências, modelos, desenhos, mapas, cartografias interactivas online, filmes e animações. O objectivo é trazer novas sensibilidades materiais e estéticas para lidar com as implicações jurídicas e políticas da violência estatal, do conflito armado e da mudança climática. Em vez de se limitarem à apresentação no domínio jurídico, procuram actuar numa multiplicidade de fóruns, políticos e jurídicos, institucionais e informais. Nos últimos anos, além de gerar um grande debate na área de direitos humanos, arquitectura e direito, a FA participou também com exposições em importantes instituições culturais e artísticas. Em 2018, foram selecionados para o Prémio Turner.
Filmes apresentados
Rafah: Black Friday, 2014, 9 min
Killing in Umm Al-Hiran, 2017, 11 min
Kivalina, 2013, 36 min
Mare Clausum - The Sea Watch vs Libyan Coast Guard Case, 2017, 29 min
Hannah Meszaros Martin
Hannah Meszaros Martin é doutoranda no Center for Research Architecture, Goldsmiths - University of London e membro da Forensic Architecture. Nos últimos cinco anos conduziu um projecto de pesquisa conduzido pela prática, sobre os efeitos da erradicação legalmente sancionada da planta da coca, por meio de fumigação aérea com o herbicida glifosato, no contexto do conflito armado colombiano e da guerra às drogas liderada pelos EUA . A sua pesquisa envolve a documentação da transformação político-legal que baniu a vida não-humana, e a análise de novos métodos de geração de imagens e produção de dados e o seu papel em políticas de erradicação.
Filmes apresentados
The Outlawed Earth/La Tierra Proscrita, (lecture), 2018
João Pedro Rodrigues
João Pedro Rodrigues é um cineasta e artista que vive em Lisboa, Portugal. Interrompeu os estudos de ornitologia para frequentar a Escola Superior de Teatro e Cinema, em Lisboa, onde se licenciou em 1989, antes de passar a trabalhar como assistente de realização e montador. O seu trabalho explora a sexualidade e o desejo humano em todas as suas formas, reflectindo a história multifacetada do cinema, dos géneros clássicos, ao documentário, e ao cinema experimental. Para além de várias curtas-metragens, escreveu e dirigiu cinco longas-metragens, incluíndo O Fantasma, que estreou na Competição Oficial do Festival de Cinema de Veneza, em 2000, causando um rebuliço nacional na Itália, quando o jornal oficial do Vaticano pediu a demissão do director do festival por ter escolhido o filme. Co-dirigiu também várias curtas-metragens e a longa-metragem The Last Time I Saw Macao (2012) com o seu colaborador artístico e parceiro de longa data, João Rui Guerra da Mata. O seu mais recente filme, O Ornitólogo, ganhou o Leopardo de Prata para Melhor Realizador no Festival de Locarno em 2016.
Filmes apresentados
O Corpo de Afonso, 2012, 32 min
Allegoria Della Prudenza, 2013, 2 min
Où En Êtes-vous, João Pedro Rodrigues?, 2017, 21 min
O Ornitólogo, 2016, 117 min
Jumana Manna
Jumana Manna (1987) é uma artista palestiniana, a viver actualmente em Berlim. Trabalhando principalmente com escultura e cinema, a artista explora relações onde se articulam manifestações de poder. Os seus filmes tecem factos e ficções, materiais biográficos e de arquivo, para investigar narrativas nacionais e históricas. Fronteiras, distâncias e proximidades são temas igualmente importantes no trabalho de Manna - como uma palestiniana nascida nos Estados Unidos, criada em Jerusalém e com um percurso académico em Oslo e Los Angeles, a artista traz para o seu trabalho a sua experiência de deslocação e não-pertença. Em projectos recentes Manna investiga a forma como mecanismos de poder económico, político e interpessoal condicionam espaços arquitectónicos, bem como a vida humana e vegetal. Manna tem um interesse particular nas rasuras que acompanham várias práticas científicas modernas de preservação; os seus projetos desafiam as construções binárias de uma herança pura e imutável, por um lado, e a aceitação da inovação, por outro.
Filmes apresentados
Wild Relatives, 2018, 68 min
Blessed Blessed Oblivion, 2010, 21 min
The Umpire Whispers, 2010, 15 min
Maria Augusta Ramos
Maria Augusta Ramos nasceu após o golpe militar no Brasil, em 1964. Desde o seu primeiro documentário, Ramos tem tentado sistematicamente retratar e perscrutar as instituições brasileiras, nomeadamente o sistema judicial e penal do país - incluíndo os seus tribunais, forças policiais e casas de detenção. Trabalhando dentro de uma tradição cinematográfica observacional e não intervencionista, Ramos recusa entrevistas, narração ou outras contribuições editoriais. À margem de uma certa tendência do cinema brasileiro, de explorar e espectacularizar questões relacionadas com a violência urbana e a criminalidade, Ramos faz uma abordagem pelo interior, perseguindo o que chama de 'Teatro da Justiça'. Ao fazer isso, a semelhança espacial entre tribunais e palcos não é ignorada pela cineasta, nem os aspectos performativos de juízes e promotores. A sua preferência por espaços internos - embora não seja uma regra - também pode estar relacionada com a importância que a cineasta - ex-aluna de musicologia e música eletroacústica - dá à composição formal.
Filmes apresentados
Juízo, 2007, 90 min
O Processo, 2018, 137 min
Nicolás Pereda
Nicolás Pereda (1982) nasceu no México e vive actualmente entre a Cidade do México, Toronto e Nova York. Numa cinematografia meticulosa, minimalista e cuidadosamente formalista, que frequentemente recorre a planos longos, Pereda entrelaça elementos do cinema narrativo e do documentário. Predominantemente filmados no seu país natal, os seus filmes investigam a estrutura das classes sociais mexicanas por meio da dinâmica familiar e das relações de amizade. Um sentido de comunidade permeia todos os seus filmes, já que o artista costuma trabalhar com o mesmo grupo de intérpretes, principalmente Gabino Rodrigues e Teresa Sánches, que aparecem, filme após filme, usando os seus próprios nomes mas numa configuração de relações sempre mutante. A presença recorrente dos mesmos performers, bem como a repetição de temas e ambiente social, configuram um jogo cinematográfico de repetição e variação que parece ligar todos os seus filmes. Pereda é também professor da Universidade Estatal de New Jersey. Nos últimos 10 anos, dirigiu mais de dez longas; o seu filme Summer of Goliath recebeu o prémio Orizzonti no Festival de Cinema de Veneza. Pereda realizou também filmes em colaboração com Andrea Bussman e Jacob Secher Schulsinger.
Filmes apresentados
El Verano de Goliat, 2010, 78 min
The Private Property Trilogy, (performance lecture), 2018
Los Mejores Temas, 2012, 103 min
Sirah Foighel Brutmann e Eitan Efrat
Sirah Foighel Brutmann & Eitan Efrat, ambos nascidos em 1983 em Tel Aviv, moram em Bruxelas e trabalham em colaboração há vários anos. Brutmann estudou Coreografia e Performance no PARTS (Performing Arts Research and Training Studios) em Bruxelas e Efrat formou-se no VAV - departamento de imagem em movimento, na Gerrit Rietveld Academie, em Amsterdão. Juntos fundaram a produtora Til Far, que produz projetos de videoarte e dança, e fazem parte do coletivo Messidor, dirigido por artistas, juntamente com Pieter Geenen e Meggy Rustamova. A sua prática audiovisual concentra-se nos aspectos performativos da imagem em movimento. Trabalham as potencialidades espaciais e duracionais da leitura de imagens - em movimento e estáticas -, explorando as relações entre espectador e história, e a temporalidade narrativa e da memória. O seu trabalho foi exibido em festivais de cinema como o IDFA, IFF Roterdão, Courtisane, New Horizons e na ARTE/WDR. Com obras produzidas por Auguste Orts e Argos e premiadas nos festivais Images e Oberhausen.
Filmes apresentados
Prrrride, 2008, 3 min
Complex, 2008, 9 min
Orientation, 2015, 12 min
Nude Descending a Staircase, 2015, 18 min
Perfect Cut, (WIP), 2018
Leituras
Excavation and Memory, Walter Benjamin
Gathering Series: Orientation, Dani + Sirah Foighel Brutmann and Eitan Efrat
Liquid Crystals, Esther Leslie
Photography, Ariella Azoulay